Home

House + Love = Home

Em cima, a história da minha casa, desta vez “em motion”. O El Corte Inglés, ainda que com o protagonismo roubado pelo Hamlet, é a estrela do vídeo. Por isso, deixo-vos em baixo os links diretos para as minhas peças favoritas.

EstanteTapeteCandeeiro de péCadeiras camel, mesa, Mesa de cabeceira (x2)Cama spenser 200×160 em SCALA (PVP 943€)  – Ref. 085.850.03521
(NÃO DISPONÍVEL ONLINE)

Standard

The Green Hope

We sat for hours, talked about my life in Los Angeles when I was 20, then law school at 23 and eventually the beginning of my blog, which brought us here today. Finally, the green emerald…

Apanhei um Uber do aeroporto para o 102 na avenida da Liberdade, em Lisboa, para me sentar com a Maria João Bahia. Em comum temos o gosto de contar histórias, ainda que de uma forma bem diferente. As histórias da Maria João são peças de arte, feitas à medida, inspiradas em pessoas. Não contam detalhes, nem excertos enfadonhos. São misteriosas, bonitas e pessoais.

Sentámo-nos durante horas, falámos sobre a minha vida em Los Angeles quando tinha 20 anos, depois a faculdade de Direito aos 23 e eventualmente o início do meu blog que nos traz até aqui. Finalmente, a Esmeralda verde.

Porquê a Esmeralda verde?” Questionava a Maria João Bahia, e a minha cabeça andava às voltas e voltas a pensar “devia ter pensado numa resposta para isto” e como sempre, sai-me a verdade da garganta, pouco poética e até um pouco supérflua, tendo em conta o lugar onde a conversa nos tinha levado. “Não sei. Talvez pela cor, dizem que é esperança não é? Ou então foram os brincos que a Angelina Jolie usou nos Óscares em 2009…”

Agora longe da conversa, sentada na minha zona de conforto, depois de ouvir as palavras da Maria João Bahia acredito que havia de facto uma razão maior do que o tamanho dos meus olhos para gostar tanto de esmeraldas verdes. Correndo o risco de soar melodramática, a verdade é vida já me trocou as voltas algumas vezes, e ainda bem, não seria a pessoa que sou hoje se assim não fosse. E o verde talvez represente essa esperança em encontrar algo melhor numa nova aventura, num novo começo. Mas nem tudo tem de ser explicado. Para mim, o amor por uma esmeralda verde, só porque sim, já é razão suficiente.

Mas a Maria João Bahia, como boa contadora de histórias que é, representou-me de uma forma mais romanceada e muito mais bonita. A minha vida desmembra-se numa multiplicidade de caminhos e aventuras que acabam sempre numa esperança verde, na esmeralda. Parece-me uma bela perspetiva 🙂


Caught an uber from the airport to the 102 on Avenida da Liberdade, in Lisbon, to sit down with Maria João Bahia. We both like to tell stories, although in a very different way. Maria João’s stories are customized pieces of art inspired by people. She won’t tell you details or boring excerpts. Her art pieces are mysterious, beautiful and quite personal.

We sat for hours, talked about my life in Los Angeles when I was 20, then law school at 23 and eventually the beginning of my blog which brought us here today. Finally, the green emerald.

“Why green emeralds?” She asked, and my head was spinning thinking, “I should’ve planed an answer to this question” and, as always, the truth just came out of my throat, not so poetic and a bit superfluous I’d say, “I don’t know, maybe because of the color, they say it means hope, right? Maybe it was because of those earrings Angelina Jolie wore in the 2009 Academy Awards ceremony…”

Now, weeks after the conversation, sitting in my comfort zone, after hearing the words of Maria João Bahia I believe there actually was a reason to like green emeralds so much bigger than the size of my eyes. This might sound a bit cheesy, but the truth is, life has played tricks on me a few times (I’m glad it did, it made me the person I am today!). And green may represent that hope in finding something better in a new adventure, a new beginning. But not everything has to be explained. For me, the love for a green emerald, just because, is itself a good reason.

But Maria João Bahia is such a good storyteller she has represented me in a more romanticized and much more beautiful way. My life dismembers itself in a multiplicity of paths and adventures that always end up in a green piece of hope, a emerald. Sounds good to me!

Standard

In the mood for Pandora

Reflexions, to reflect your mood.

Lembram-se da Anita dos livros? Acho que é uma ótima analogia para vos contar esta história. Nas capas do livro, da agora Martine, a personagem aparecia em todas as histórias num mood diferente, com um outfit à altura das suas aventuras. Acredito que o look da Anita não fosse uma coisa que vos prendesse a atenção. Mas esta homónima (lá vou eu falar na terceira pessoa) sempre foi muito visual e nenhum pequeno detalhe lhe escapou.

E por falar em pequenos (GRANDES!) detalhes, a Pandora acaba de lançar a nova coleção REFLEXIONS, completamente adaptável para estar à altura de todas as nossas aventuras. Uma pulseira clássica disponível em três tons: Prata, PANDORA Rose e PANDORA Shine, que podes completar com uma série de contas-clip, também disponíveis nas três cores. Se o mood é calças de vinil, nada confortáveis (verdade seja dita!) mas muito cool, como será a tua reflexions? Para contrastar usas uma pulseira Reflexions com um só conta-clip porque já chega de brilho? Ou, se o look é cool, it must be cool all the way? Para mim, esse é o espírito, pelo menos por hoje!


This post will be translated ASAP.

Standard

Copenhagen city guide

Hygge [hoo-ga] noun
A calm, comfortable time with people you love, a complete absence of frustrations or anything emotionally overwhelming. Often enjoyed with good food and drinks, warm blankets and condellight.

Copenhaga, onde a felicidade não é o destino final, mas um constante estado de espírito. Uma felicidade simples, que se encontra nas pequenas coisas, contrastada com a adrenalina da montanha russa no centro da cidade. Sim, no meio de Copenhaga existe um parque de diversões, o Tivoli, que nesta altura está decorado para o Halloween.

É verdade, os dinamarqueses têm lições de estilo para dar ao mundo. Lojas que já conquistaram o universo e outras que merecem passar as fronteiras da Dinamarca. Mas a verdadeira demonstração deste sentido estético passeia pelas ruas de Copenhaga. O streetstyle é o melhor que vi na Europa e o que é de facto brilhante, é que ninguém me parece muito preocupado com isso.

Para os foodies, em cada esquina uma Bakery de cair para o lado, o café é surpreendentemente delicioso e por fim, mas não menos importante, os restaurantes fazem-me querer voltar amanhã.

Onde ficar | Where to stay

SP34 hotel

Podia escrever um texto com uma série de razões pelas quais adorei o hotel mas aqui está tudo o que precisam de saber: há uma happy hour todos os dias, das 17h às 18h onde servem, gratuitamente, vinho português.

I could tell you how cool this hotel is but here’s everything you need to know: They have a happy hour from 5pm till 6pm and serve Portuguese wine. I rest my case.

Pequeno Almoço | Breakfast:
Atelier September (Favorite!)
Hart bakery (best bakery!)
Lille Bakery
Mirabelle Bakery
cafe oha
Mad & Kaffe
Granola

Almoço | Lunch:
Apollo bar
Gasoline grill 🍔
John’s hotdog Deli🌭
Bæest 🍕 (& burrata! Yup! It’s that one from Netflix Ugly delicious)

Jantar|Dinner
Barr
Kødbyens Fiskebar
Amass
Ralae
Kong Hans Kælder
Noma (you have to make a reservation when reservations open. Check the next date on their website. Unfortunately we couldn’t make it because we only decided to go to Copenhagen a month ago. But we’ll go back for it!)

You must go to:
Tivoli Gardens (Amusement Park)
Christiania (it’s a Freetown in the middle of Copenhagen)
Kunsthal Charlottenborg (Art Gallery)
Nørrebro
Værnedamsvej (Paris in Copenhagen)
Louisiana museum

Tips:
Faz uma viagem de barco |Go on a boat trip
Aluga uma bicicleta, é a melhor forma de ver a cidade | Rent a bike, it’s the best way to see the city

Stores:
Mads Nørgaard
Ganni

Souvenir:
Danish ceramics

Standard

My home, my story.

“A man travels the world over in search of what he needs and returns home to find it.”  – George A. Moore

          Não importa o destino, a viagem, o mergulho no mar paradisíaco ou o jantar de comer e chorar por mais. Não há nenhum lugar no mundo melhor do que a minha casa.

          Mudámos de casa há uns meses e descemos para o Algarve com muita coisa por arrumar. Voltámos para o Porto quase dois meses depois e deparámo-nos com uma sala cheia de móveis, vazios, expostos aleatoriamente à espera de uma narrativa. Uma casa vazia, sem vida, sem história, coisas em caixotes e um frigorífico sem comida. Enfim, um verdadeiro caos! A mobília parecia grande de mais e pouco adequada para a minha sala. Fui dormir sobre o assunto. Não me sentia em casa e tinha saudades do nosso apartamento antigo. Na manhã seguinte tomei um café e pus mãos à obra. Só me sentei quando finalmente me sentia em casa. O resultado está nas fotografias em cima.

          É simples, despretensioso e faz-me sentir bem. É o lugar onde vou criar novos histórias. Onde vamos experimentar fazer a nova receita da Deliciously Ella para os nossos amigos, ou encomendar Uber Eats e ver Netflix no sofá até adormecermos enroscados no Hamlet. O meu porto seguro, um patchwork de viagens e aventuras, de livros lidos e daqueles que nunca vou passar da página 20. Quero que este lugar fale a minha língua e conte um bocadinho da nossa história. A ideia nunca foi ser um catálogo, mas uma casa onde se come bem e a música é boa. Acho que cumprimos o objetivo. Obrigada El Corte Inglés, por fazerem parte da nossa história.

          Deixo-vos com o a coleção do El corte Inglés e os links diretos para os artigos que escolhi:

Sala: Estante, mesa, cadeira camel, cadeira preta, candeeiro de pé (outros candeeiros de pé) e tapete

Quarto: Cama spenser (não disponível online), Candeeiro de mesa (outros cadeeiros de mesa) e mesa de cabeceira.

Baú


This post will be translates asap.

Standard

Hold it, mix it…

Love it!

Se há uma parte de mim que gostava que o Verão não acabasse, há um lado que espera ansiosamente pela nova estação! Estou disposta a deixar a descontraída sensação de aventura para me preparar para um novo começo. E este é o novo começo da Tous, a coleção HOLD que promete dar-te o número de possibilidades que a tua imaginação permitir. Uma coleção de jóias que pode ser tudo, literalmente. Com peças desmontáveis para combinares consoante o teu mood. Descobre mais sobre a HOLD by TOUS aqui.

If there’s a part of me that dreams of an endless summer. There’s another part that anxiously waits for the new season. I’m willing to leave the relax sense of adventure to get ready for a new beginning. And this is the Tous new beginning, it’s called HOLD collection and it promises to give you as many possibilities as your imagination allows. A jewelry collection that can be all you want, literally. All pieces are changeable, you can mix and match as you please, according to your mood. Find out more about HOLD by TOUS here.

Standard