24 hours in Verona


“A glooming peace this morning with it brings.
The sun, for sorrow, will not show his head.
Go hence, to have more talk of these sad things.
Some shall be pardoned, and some punished.
For never was a story of more woe
Than this of Juliet and her Romeo.”
– William Shakespeare, Romeo and Juliet

A semana passada estive em Verona para ir ao Intimissimi On Ice pela primeira vez. Na verdade é muito pouco aquilo que vos posso dizer sobre a cidade, uma vez que se resume a uma hora de passeio. A cidade é pequena, pitoresca e na entrada dos restaurantes cheira a Itália. O palco de Romeu e Julieta, pelo menos nas palavras de Shakespeare que entendeu que aquele era o lugar  ideal para o romance dos namorados.

Mas o meu romance foi outro e pouco vivi da cidade. Patinagem no gelo, com um espectáculo audiovisual deslumbrante, um elenco super talentoso e a voz de Andrea Bocelli que a determinada altura me trouxe as lágrimas aos olhos.

Fiquei no Palazzo Victoria, voei para Bologna e depois fizemos uma viagem de pouco mais de uma hora até Verona. Na volta viemos por Veneza, portanto se estiverem a planear uma viagem a Veneza, dá perfeitamente para dar um saltinho a Verona!

Tenho mesmo muita pena de ter tão pouco a dizer sobre estas 24h, mas o tempo foi realmente curto. Espero voltar!


Last week I attended the Intimissimi on Ice in Verona for the first time. Unfortunately  I can’t tell you much about the city since I only walked around for 1 hour.

The city is really small and picturesque and restaurants smell like Italy. Shakespeare picked the perfect place for Romeo and Juliet’s romance. But my romance was different and I didn’t get to enjoy the city that much. My romance was about Intimissimi on Ice. Such an incredible audiovisual show performed by such talented people and the voice of Andrea Boccelli that brought me to tears at some point.

We stayed at Palazzo Victoria, flew to Bologna and then took a little trip to Verona. On the way back we came via Venice, so if you’re planning a trip to Venice, it would be the perfect opportunity to go to Verona.

I’m really sorry I have so little to say about these 24hrs in Verona, I hope I get the chance to go back!

36 hours in Paris

“Mine was the twilight and the morning. Mine was a world of rooftops and love songs.”
― Roman Payne, Rooftop Soliloquy

Visitei Paris pela primeira vez há 10 anos e desde então os nossos destinos nunca mais se cruzaram. Voltaram a cruzar-se esta semana, por coincidência numa fashion week.

Esta decisão de passar 36 horas em Paris foi tomada durante uma corrida. É claro que no meio de tantas endorfinas a minha resposta ao convite foi um imediato e pouco calculado “SIM” (se querem receber um sim façam a pergunta enquanto estou a correr)! Três semanas depois às 6 da manhã lá estávamos nós rumo a Paris.

O mundo inteiro estava em Paris com as atenções na fashion week. No extremo oposto estávamos nós, a chegar ao hotel às 10 da manhã, cansadas mas inebriadas pelo charme parisiense. Como era de prever não tínhamos o quarto pronto quando chegámos e ainda tivemos de ouvir uma centena de vezes “it’s fashion week”. Não foi um problema, as ruas de Paris receberam o nosso look de aeroporto de braços abertos.

Paris, para mim, apesar do ambiente de fashion week foi sobre passear pelas ruas da cidade com um look confortável. Beber Espresso Martinis antes do almoço (não experimentem isto em casa) e comer penne all’arrabiata enquanto toda a gente (fora da nossa mesa) almoçava saladas. Melhor, melhor teria sido se tivesse conseguido ver arte, mas infelizmente o tempo não deu para tudo. Tentámos ir a 3 museus mas as filas prometiam uma tarde de espera e o nosso tempo era precioso. Valeu pelo Costes, pelos snacks asiáticos na cama e pelas gargalhadas embriagadas de sono. Eu sei que isto pode parecer cheesy e até repetitivo, mas é mesmo o que me faz feliz.

As dicas que vos posso deixar não são muitas, mas são as que tenho:

Onde ficar:
L’Hôtel Montaigne

Onde almoçar:
L’avenue
La Societe

Onde Jantar:
Hotel Costes

 

Para Sempre Vodafone Paredes de Coura

🎶”Adios
Adios to your afternoon
Cause tonight I will be forever
Following the colosseum moon”🎶
– “Adios”, Benjamin Clementine

Day 1:
18 de Agosto, 3º dia da 25º edição de Paredes de Coura
O cartaz anunciava nomes como Young Fathers e Roosevelt no Palco principal, Moon Duo no Palco Vodafone Fm, entre outros. Confesso que nenhum destes nomes me fez sair da praia no Algarve e rumar a norte para ouvir música. Não porque não fossem merecedores de tal, antes pelo contrário, são dignos disso e de muitos mais, mas o meu ouvido leigo encontrava-se em território desconhecido. Honestamente, o que me fez trocar a praia pelo campo foi o burburinho que se ouvia sobre o festival no meio da natureza. Fiz as malas rumo a norte com a certeza de que não me iria arrepender. Assim que entrei no festival li uma promessa, “Para sempre”. Questionei-me se seria a memória deste dia, se seria o festival em si, o ambiente descomedido que pairava no ar ou talvez tudo isto fosse para sempre…

Depois da promessa a música. Lembro-me de estar no meio da multidão a determinada altura, o sol ameaçava deixar-nos enquanto o céu se pavoneava cheio de cores. No Palco Young Fathers e à minha volta parecia que toda a gente compreendia a música, dançavam como se aquele fosse o próprio ritmo cardíaco. E eu… bem, senti alguma inveja, não era a minha língua mas tentei compreender. No meio de uma multidão eufórica foi impossível ficar parada.

A noite caiu, mas antes disso french fries. Saltei de palco em palco, deambulei pelos caminhos do festival e dancei pela noite adentro à descoberta deste território desconhecido…

Day 2:
19 de Agosto, 4º e último dia da 25º Edição de Paredes de Coura
Já não me encontro em terras anónimas. Entro no festival num grupo maior, pronta para mostrar os mágicos cantos recinto. A Golden Hour é definitivamente a melhor hora para estar por lá (Bem… a golden hour é a melhor hora para tudo na vida!) ouve-se uma voz vinda do palco “You’re all so good lookin'”, a multidão cora, “you could all live in LA, you know what they say you only make it in LA if you’re good lookin’…” e depois a música…
🎵“I left my love in San Francisco (that’s okay, I was bored anyway)
I left my love in the room (that’s okay, I was born in L.A.)”
🎵
(Ok FoxyGen, you got my attention!)

Nada de French Fries porque não pode ser todos os dias. Alex Cameron já atuava no palco Vodafone FM mas eu provavelmente estava demasiado ocupada a ser feliz para passar por lá (sorry about that). No entanto, não há felicidade nem distração que nos agarre quando Benjamin Clementine sobe ao palco. Fez-me ter vontade de me ter cruzado no metro em Londres enquanto ele ainda não subia aos palcos. Eu sabia que era aqui que eu devia estar dia 19 de Agosto de 2017, só não sabia porquê e naquele momento soube. De repente o anfiteatro natural transformou-se numa espécie de NeverLand, abençoada pelo talento do tímido Benjamin e o Para Sempre passou a fazer todo o sentido. Pensei…

é claro que é Para sempre!

Parabéns pelos 25 anos Vodafone Paredes de Coura e obrigada por esta bela lição musical!


This post will be translated asap.

Intimissimi Loves Sicily

And I love Intimissimi!

Ainda não tinha partilhado nada no blog sobre a minha viagem a Itália com a Intimissimi. E como uma imagem vale mais do que um mil palavras (bem, eu não sou completamente desta opinião mas agora convém-me!) deixo-vos aqui uma série de imagens que promete levar-vos a Itália num minuto!


I haven’t shared anything in the blog about my trip to Italy with Intimissimi yet. And you know they say a picture is worth a thousand words (well, I don’t completely agree with this affirmation but it sounds good right now!) So here’s a video that will take you to Italy in a minute!

Barcelona, Barcelona

Na verdade eu acho que as palavras são a forma mais bonita de contar histórias, mas como há histórias que merecem ser vividas e revividas deixo-vos este vídeo sobre a minha aventura em Barcelona.

Vê aqui o meu travel guide sobre Barcelona.


Actually I think words are the most beautiful way to tell stories, but there are stories that deserve to be lived and revived so here’s a video about my adventure in Barcelona.

Read here my travel guide about Barcelona.

Barcelona x Waynabox


🎶 “Porque es tan fuerte
que solo podré vivirte
en la distancia y escribirte
una canción.
Te quiero, Barcelona
Ella tiene el poder.
Barcelona es poderosa.”🎶
– “Barcelona”, Giulia y Los Tellarini

Se me segues no instagram provavelmente viste fotografias minhas a deambular por Barcelona. Andei a trautear a música do Vicky Cristina Barcelona o fim de semana inteiro, jantei em restaurantes maravilhosos, bebi vinhos fabulosos, matei saudades da Paella e das famosas croquetas, conheci o simpático chef Xavier Pellicer no que se tornou o meu restaurante favorito de Barcelona, Céleri (três linhas a falar de comida e ainda nem falei no Flax And Kale). Ainda me deliciei com as inusitadas obras de Gaudi que embelezam Barcelona. Enfim, esta cidade fez-me sentir num filme do Woody Allen. Aliás, o filme começa antes de entrar no avião, tendo em conta a forma aventurosa como lá fui parar.

A Waynabox levou-me a Barcelona pela primeira vez, e só desvendou o destino dois dias antes de me levar a embarcar nesta aventura. Como? É muito simples!

  1. Entra no site Waynabox.com (Calma! Não entres já, lê o resto da explicação!)
  2. Escolhe com quantas pessoas vais viajar, quantos dias (por norma de sexta-feira a domingo ou de sábado a segunda-feira) e qual será o teu local de partida.
  3. Escolhe as datas em que pretendes embarcar nesta aventura
  4. (Opcional) Elimina destinos
  5. Finaliza a reserva e,
  6. Enjoy the ride!

Dois dias antes da viagem recebes um e-mail com a tua reservas de voo e hotel e ainda um guia exclusivo da cidade para onde vais viajar, desde 200€ por pessoa. Aliás, se usares o código de desconto “ANITACOSTA01”, tens 5% de desconto em todas as compras e reservas Waynabox (utilizações ilimitadas, durante um ano)!

Travel Guide Barcelona:

Onde ficar:
Mélia Sky Barcelona (Pequeno almoço de sonho no último andar, com uma vista sobre Barcelona assombrosa!)

Onde almoçar:
Yummy e saudável: Flax & Kale (Gostámos tanto que voltámos. Em três dias, almoçamos lá duas vezes. É mesmo maravilhoso!)
Típico: El Vaso d’oro (O sítio é muito pequeno e não aceitam marcações. As pessoas sentam-se ao balcão e algumas ficam de pé à volta de umas mesas altas, o que foi o nosso caso. Mas vale a pena. É uma tasca típica com tapas ótimas e um espírito engraçado.)
Mercat De la Boqueria

Onde jantar:
Céleri (Saudável, light e delicioso. O chef vai a todas as mesas cumprimentar as pessoas e explicar o conceito do restaurante, é uma simpatia. Mas o que é mesmo incrível é a comida!)
Le Petit Comité (Paella de arroz negro M A R A V I L H O S A)

A visitar:
La Sagrada Familia
Casa Batló
Parque Guell
Mercat De la Boqueria
Dá uma passeio pelo bairro Gótico, come um gelado, ouve música de rua, imagina que estás num filme do Woody Allen…

Boa Viagem!


If you follow me on instagram you probably saw some pictures of me wandering around Barcelona. I kept on singing that Vicky Cristina Barcelona’s song for the entire weekend, had dinner in wonderful restaurants, drank fabulous wines, had that amazing spanish Paella and those famous croquetas, met the really nice chef Xavier Pellicer in my favorite restaurant in Barcelona, Céleri (three lines talking about food and I haven’t mentioned Flax And Kale yet). Also got to see the unusual but amazing work of Gaudi. I felt like I was in a Woody Allen movie.Actually the movie starts before I get on the plane, considering the adventurous way I got there.

Waynabox took me to Barcelona for the first time, and I only found out that would be the destination two days before starting this adventure. How? It’s very simple!

  1. Go to Waynabox.com (Wait! Read the rest of the explanation before you go to te page!)
  2. Choose how many people you want to take with you for this adventure, how many days you’re planning to be out of town (from Friday to Sunday or from Saturday to Monday) and where are you flying from.
  3. Pick the dates
  4. (Optional) Delete destinations
  5. Finish the reservation and,
  6. Enjoy the ride!

Two days before the trip you’ll receive an email with your flight and hotel reservations and an exclusive guide of the city where you are traveling to.

Travel Guide Barcelona:

Where to stay:
Mélia Sky Barcelona (Amazing breakfast on the top floor with a view!)

Where to have lunch:
Yummy and healthy: Flax & Kale (We liked it so much we went back. In three days, we had lunch there twice.)
Very typical: El Vaso d’oro (The place is very small and doesn’t take reservations. People sit around the counter and some are standing around tall tables. A typical tavern with great tapas and a funny spirit.)
Mercat De la Boqueria

Where to have dinner:
Céleri (Healthy, light and really, really good! The chef goes to all the tables to greet people and explain the concept of the restaurant, he was so nice. But you know what’s even better?! THE FOOD!)
Le Petit Comité (Super yummy Black rice paella )

To visit:
La Sagrada Familia
Casa Batló
Parque Guell
Mercat De la Boqueria
Take a walk around Barri Gòtic, have ice cream, listen to street music, imagine you’re in a Woody Allen movie …

Have a lovely trip!

New York, New York

Chapter 1.
‘She’ adored New York City. ‘She’ idolized it all out of proportion…no, make that: ‘she’ – ‘she’ romanticized it all out of proportion. Yeah. To ‘her’, no matter what the season was, this was still a town that existed in black and white and pulsated to the great tunes of George Gershwin.’

Uh, no let me start this over.”
– Woody Allen, Manhattan

Nova Iorque tem um lugar privilegiado no meu coração. Apesar de nunca ter estado na fila da frente da minha vida esteve sempre presente de uma forma especial. E este ano resolvi voltar, sete anos depois de nos termos cruzado pela primeira vez. Embora a nossa relação comece muito antes desta primeira visita, começa nos meus sonhos, no meu imaginário, nas tardes ao fim de semana agarrada à televisão a ver filmes de Natal passados em Nova Iorque. Não há como fugir, mesmo que este encontro leve tempo para acontecer, esta cidade entrou-nos pela casa e nós nem demos conta.

Estas fotografias estão longe de representar a minha viagem a Nova Iorque, mas já todos sabemos, para minha insatisfação, que estas notas e imagens estão longe de vos dar a provar aquilo que vivi. Faltam muitos lugares e pormenores que vos darei a conhecer em baixo, mas estas fotografias mostram de alguma forma aquilo que sinto em relação à cidade. Parece mais do que uma história, ainda que esta seja só minha, parecem frames de histórias tiradas de algum lado, montadas em patchwork que mostram a “bloody mess // perfect imperfection” que é New York, New York.

DICAS:

Deixo-vos algumas dicas para quando forem visitar esta cidade maravilhosa: (Só estivemos dois dias e meio em NYC, fizemos o máximo que conseguimos!)

Onde ficar: The New York Edition

Um dos hotéis mais cool de Nova Iorque, muito bem localizado em Madison Avenue, staff maravilhoso, um ambiente muito muito giro e um restaurante de sonho! Adivinhem o que há no parque mesmo em frente ao hotel?! Além de esquilos (claro!), um Shake Shack! Foi perfeito para quando chegámos de viagem!

Museus a visitar (Por ordem de preferência):

  • MOMA: Será que preciso mesmo de vos dar um motivo para ir ao Mina? Provavelmente o museu de arte moderna mais conhecido no mundo onde podemos ver algumas das obras mais importantes de arte moderna, tais como a famosa Noite Estrelada de Van Gogh, ou obras de Pablo Picasso como O rapaz e o Cavalo ou a Paisagem. Mas isto são só dois cartões de visita porque o museu está repleto de obras verdadeiramente inspiradoras, prontas para mudar a nossa forma de ver o mundo.
  • Witney museum: Este é sem dúvida um dos meus museus preferidos, mas eu sou suspeita porque adoro arte contemporânea. A história que motivou o surgimento do museu é ela própria uma inspiração. Gertrude Vanderbilt Whitney ofereceu-se para doar ao Metropolitan Museum of art 600 obras, mas o Metropolitan recusou. Posto isto, Whitney resolveu usar esta compilação de obras para fazer nascer o Whitney Museum of American Art, constituído fundamentalmente por obras de artistas americanos cujo trabalho não foi apreciado pelos críticos de arte.
  • 9/11 Memorial & Museum: Tenho mixed feelings em relação a este museu e a esta forma de fazer luto. Há coisas na exposição que acho que não deviam estar lá, mas é uma experiência intensa.
  • American Museum of Natural History: Este é o museu do filme “À Noite No Museu”. Honestamente não está propriamente na minha lista de preferências. O museu é enorme, confuso e aborrecido. A parte dos dinaussauros é gira, mas nada de especial. Se resolverem ir lá, vão diretos ao que interessa!

(Mom, I’m hungry!)
Onde almoçar:

  • The Butcher’s daughter: Light e super yummy, com muito abacate e uma atmosfera super descontraída! Perfeito para pequenos almoços, almoços e snacks!
  • Shake shack: Finalmente provei o hambúrguer mais fotografado do instagram e valeu a pena! Já estou a salivar portanto não vou ser muito descritiva. Se quiserem salivar comigo, (Wow, isto soa muito estranho!) procurem imagens no google.

Onde jantar:

  • Buddakan (Cozinha japonesa)
    Adorámos tudo, o ambiente, o sítio, a comida, o serviço e o vinho de sonho que nos recomendaram. Definitivamente o nosso restaurante preferido em NYC.
  • Eataly (Italiano)
    O Eataly é um mercado Italiano com três / quatro pequenos restaurantes. Eu adoro comida Italiana (quem não adora?!) e em NYC é uma lufada de ar fresco. Tem umas tábuas ótimas, pizzas e massas igualmente maravilhosas. E para acabar em beleza uma espécie de nutelleria à saída. As dietas ficam à porta.
  • Nobu (Cozinha japonesa)
  • Tao Downtown (Cozinha japonesa)
  • Ramen Momofuku Noodle Bar (Ramen)
  • Tim Ho Wan USA (Dim Sum)

Estavam na nossa lista o Nobu e o Tao mas infelizmente não deu tempo para tudo. Tenho a certeza que voltaremos para experimentar.
Além disso, há dois restaurantes que ficámos com imensa pena de não conseguir ir e como não quero que passem pelo mesmo vou-vos dizer o que fazer para conseguirem jantar lá. Um deles é de Ramen, chama-se Ramen Momofuku Noodle Bar, o outro é de Dim-sum, Tim Ho Wan. Nenhum aceita reservas e quer um quer outro têm filas de horas. Para teres mesa tens de ir lá por volta das 17horas e pôr o teu nome na fila. Depois vais beber um copo ali perto e +/- 2 horas depois a tua mesa estará disponível.

Obrigatório:

  • Ver um espetáculo na Broadway:
    Nós acabámos por ver o Aladdin mas não foi planeado. No primeiro dia resolvemos ir passear para Times Square para nos envolvermos naquele espírito Novaiorquino. Já estava de noite e estávamos gelados quando vimos um sinal enorme a dizer Aladdin, sabíamos que ou entravamos ali ou íamos parar ao hotel para dormir. Entrámos e foi super giro!
  • Ir ao Meetpacking district É um bairro giríssimo!

Cool Markets:

  • Chelsea Market
  • Canal Street Market

Boa viagem! 🙂


This post will be translated asap.

Vodafone Mexefest

“Without music, life would be a mistake.”
– Friedrich Nietzsche

Dizem que viajar é o único investimento que nos torna mais ricos e eu não podia discordar mais desta frase! Viajar não é o único investimento que nos enriquece, se calhar até é o número 1 daquela lista de coisas em que é permitido gastar dinheiro sem nos sentirmos culpados, mas a lista vem por aí abaixo.
Caso contrário, onde é que enquadraríamos este tão vasto leque de experiências: Entrar num museu, ver um espetáculo de teatro ou de bailado, comer nos melhores restaurantes do mundo, ou numa roulote algures no méxico ou até ir a um festival de música. Esta lista é infinita e a verdade é que não é só o bilhete de avião que nos esvazia os bolsos e enche a alma. Há tanta coisa a acontecer à nossa volta, os bolsos ficam mais compostos e a viagem é igualmente enriquecedora.

Esta foi a minha viagem no fim de semana passado:
Entrei na estação do Rossio por volta das 21:30h. Três escadas rolantes depois (ou duas?) deparei-me com uma energia incrível em cima do palco, Baio estava de costas voltadas para uma vista assombrosa sobre Lisboa e rapidamente me fez perceber que estava no lugar certo à hora certa! Acabámos por ficar no concerto até ao fim, apesar de não termos entrado com essa intenção. Pouco depois das 22:00h já dançávamos ao som de NAO, que também foi uma agradável surpresa.

Mas o ex-libris desta aventura chama-se Gallant, é americano, tem 24 anos e atuou pela primeira vez em Portugal sábado passado (26/11/2016). Senti-me uma privilegiada por estar no Coliseu dos Recreios a ouvi-lo. Tem uma voz incrível e há quem veja nele uma promessa da música. Bem, eu ouvi promessas, se ouvi, promessas em todas as notas possíveis e imaginarias! You’re a natural Christopher Gallant!

Obrigada pelo fim de semana maravilhoso Vodafone Mexefest,
See you next year!


They say traveling is the only investment that makes you richer but that’s not true! Travel isn’t the only investment that makes you richer, might be number 1 in that list of things that we are allowed to spend money without feeling guilty, but there’s more to it!
Otherwise, where would we include such a wide range of experiences: Like go to a museum or to the theater, eat at the best restaurants in the world, or in a lunch truck somewhere in Mexico or even to go to a music festival. This list is endless which leads me to conclude that plane tickets aren’t the only experience that empties our pockets and fills our soul. There’s so much happening around you that will make you richer and keep some money in you pocket.

Here’s last weekend’s trip:
Arrived at Rossio station around 9:30 p.m. Three escalators later (or two?) I got up there to find an amazing energy on stage, Baio was with his back turned to an amazing view over Lisbon and quickly made me realize that I was in the right place at the right time! We danced until the end of the concert. Shortly after 10:00 p.m. we were already dancing to the sound of NAO, which was also a really nice surprise.

But the ex-libris of this adventure was Gallant, he’s American, only 24 years old and he just performed in Portugal for the first time last Saturday (11/26/2016). I felt privileged to be at the Coliseu dos Recreios listening to this guy. He has an incredible voice! You’re a natural Christopher Gallant!

Thank you for this wonderful weekend Vodafone Mexefest,
See you next year!

Amsterdam 2016

“Some tourists think Amsterdam is a city of sin, but in truth it is a city of freedom. And in freedom, most people find sin.
― John Green, The Fault in Our Stars

Na terceira semana de Outubro de 2016 Amesterdão dedicou-se a uma nova edição da ADE (Amsterdam Dance Event). Nesta altura a probabilidade de me cruzar com um Dj ao virar da esquina é equivalente à possibilidade de passar à porta de uma Coffeeshop de 10 em 10 minutos. A cidade respira música e animação, pessoas de todo o mundo misturam-se no meio dos charmosos habitantes de Amsterdão em cima das suas bicicleta, mas não lhes tiram o protagonismo. Sim, porque esta cidade tem um charme que lhe pertence por direito!

Esta é a terceira vez que vejo Amesterdão no Outono e também não é primeira vez que escrevo sobre o assunto.
Lê mais sobre Amsterdão aqui:
Amsterdão 2015
Amsterdão 2014:
Day 1
Day 2

Mas não faltam lugares por descobrir nesta cidade, por isso vou deixar-vos novas dicas:
Uma das coisas mais giras desta viagem foi um feliz acaso! Assim que cheguei à Holanda fui invadida pela publicidade da exposição do Banksy no Moco. Um flyer cor de rosa, com quarto macacos e quatro placares pendurados “Laugh now but one day I’ll be in charge”. (EU TENHO QUE VER ISTO!) No dia seguinte de manhã lá estava eu na pequena fila para ver a primeira exposição do Banksy num museu. O Moco contava com duas exposições, além da “Laugh Now” do nosso herói das ruas, no piso de baixo estava a “Royal” do Andy Warhol. Confesso que nunca os tinha associado, nem me passou pela cabeça que o Banksy se pudesse inspirar no Warhol, mas depois de ver as duas exposições pareceu-me óbvio.
Também fomos ao Stedelijk, museu de arte moderna, contemporânea e design. Tinha duas exposições incríveis, Dream Out Loud e Jean Tinguely: Machine spectacle.

Onde tomar o Pequeno almoço / Brunch:
Voltei ao The Lobby e ao Pluk e confirma-se, continuam ótimos!
E descobri um sítio novo na mesma rua do Pluk, o Ree7, tem umas taças de açaí de sonho!

Jantar:
A descoberta este ano foi o MOMO. Se gostas de sushi este é o lugar para ir! A comida é ótima e o ambiente é muito giro, se estiveres a ponderar ir dançar um bocadinho depois do jantar o MOMO não te vai deixar ficar mal!

Tenho vestido:
(Look 1)
Casaco: Sandro (El Corte Inglés)
Camisola & calças: Pinko
Mala: Brownie
Botas: Ugg
(Look2)
Camisola & Calças: Sandro (El Corte Inglés)


October 2016 Amsterdam presents a new edition of ADE (Amsterdam Dance Event). If you are in Amsterdam during ADE you’ll probably run into as many djs as coffee shops. At this time of the year the city breathes music and entertainment, people from all over the world walk around along with the charming dwellers of Amsterdam driving around on their bikes, but they got nothing on Amsterdammers. Yes, because this city has its own charm!

This is the third time I visit Amsterdam and it’s not the first time I write about it.
Read more about Amsterdam here:
Amsterdam 2015
Amsterdam 2014:
Day 1
Day 2

But there are still so many places to discover in Amsterdam. I’ll leave you a few new tips:

One of the nicest things about this trip was one of those serendipity moments! Once I got to Amsterdam I was invaded by the Banksy exhibition advertisment. A pink flyer with four monkeys hanging scoreboards “Laugh now but one day I’ll be in charge.” (I HAVE TO SEE THIS!) Next morning there I was in a small queue at the Moco to see the first Banksy exhibition in a museum. The Moco had two exhibitions, in addition to the “Laugh Now” from our street art hero, on the lower floor you could find “Royal” the Andy Warhol exhibition. I confess I had never associated these two neither crossed my mind that Banksy got inspiration from Warhol, but after seeing these exhibitions that became obvious.
We also went to the Stedelijk museum. It’s a modern and contemporary art and design museum. We saw two amazing exhibitions, Dream Out Loud and Jean Tinguely: Machine spectacle.

Best Breakfast / Brunch in town:
We went back to The Lobby and Pluk just to confirm both are pretty good still!
And we found this new place down the street from Pluk, it’s called Ree7 and it has a the best açai bowls!

Have dinner at:
We heard about this place called MOMO so we went to try it. If you are a sushi fan this is the place to go! The food is great and the atmosphere is awsome, if you’re considering going to dance a little bit after dinner the MOMO you’ll get you ready for it!

I’m wearing:
(Look 1)
Coat: Sandro (El Corte Inglés)
Knit & pants: Pinko
Bag: Brownie
Boots: Ugg
(Look2)
Knit & pants: Sandro (El Corte Inglés)

London x Stradivarius









“By seeing London, I have seen as much of life as the world can show. – Samuel Johnson”

Londres foi o meu primeiro amor. Lembro-me que na primeira vez que lá fui guardei tudo o que no futuro pudesse fazer-me recordar daquela viagem. Bilhetes de avião, bilhetes de espectáculo, etiquetas de roupa e até o cartão do metro. Sucederam-se inúmeros encontros fugazes mas intensos. Alguns anos mais tarde resolvi voltar com uma amiga, foi uma viagem muito especial. Voltei ainda uma terceira e vez com outra amiga e um ano depois cruzei-me novamente com o romantismo de Londres quando fui fazer as provas para entrar na American Academy of Dramatic Arts.

Entretanto estive alguns anos ausente e agora reencontramo-nos outra vez. Voltar a Londres foi como rever um grande amigo que podia ter sido um grande amor. E ele estava mais feliz do que nunca, cheio de luz, presenteou-me com 30 graus centígrados (sim, 30 graus!). Deu-me dois dias solarengos e uma típica cinzenta manhã londrina. Além do sol e da charmosa manhã de chuva a cidade regalou-me com reencontros com amigas (algumas virtuais consolidaram-se em matéria), massas de trufa, copos de vinho, teddy bears, uma visita à famosa sala cor de rosa tão exibida no instagram (Sketch) e a cereja no topo do bolo, que afinal foi o motivo que me levou a Londres. O The Event Paper da Stradivarius que aconteceu no meio de Oxford Street num ambiente super cool.

Obrigada pela experiência Stradivarius, acabei a noite a dançar, portanto, foi uma boa noite!
See you soon Landon!

Tenho vestido: Stradivarius
Mala: RSVP paris 


London was my first love. I remember the first time I went there I kept everything that could remind me of that trip in the future. Plane tickets, clothing tags, theatre tickets even the oyster card. A few years later I went back with a friend, it was a very special trip. Back yet a third time with another friend and a year later our paths crossed once again when I went to London to audition for the American Academy of Dramatic Arts.

And now we meet again. Going back to London was like seeing a good old friend that could have been a great love. And he was happier than ever, full of light, welcomed me with 30 Celsius degrees (yes, 30 degrees!). He gave me two sunny days and a typical gray London morning. Besides the sun and the charming rain the city regaled me with long evenings with friends (some virtual friends became real), truffle pasta, white wine, teddy bears, a visit to the most famous pink room on instagram (Sketch). But the best part was The Event Paper By Stradivarius that happened in the middle of Oxford street in a super cool environment.

Thank you Stradivarius for this experience, I was dancing all night long which means it was a good night!
See you soon Landon!

I’m wearing: Stradivarius
Bag: RSVP Paris