Anita hearts Emian Böhe

IMG_3601-0.JPG
IMG_3590-0.JPG
IMG_3602.JPG
IMG_3580.JPG
IMG_3605.JPG
IMG_3596-1.JPG
IMG_3606.JPG
IMG_3595-1.JPG
IMG_3574-1.JPG

Dizem que trazemos nos olhos a beleza das coisas e que estes são o espelho da alma, através dos olhos podemos desvendar os mais íntimos segredos. Mas o segredo é a alma do negócio, portanto, há alturas em que as portas da alma devem manter-se fechadas.

A Emian Bohe preserva todos os nossos segredos, com um design singular e um leque de cores digno de um conto de fadas. Geralmente, aliado a um design fabuloso dificilmente encontramos conforto, mas a qualidade das lentes é a chave do sucesso desta marca de óculos de sol Espanhola, portanto, o conforto é incontestável.

www.emianbohe.com


 
They say beauty is in the eye of the beholder and eyes are the mirror of the soul, through your eyes you can reveal your deepest secrets. But if secret is the soul of business, there are times you need to keep the door to your soul closed.

Emian Bohe preserves all your secrets, with a unique design and a range of colors worthy of a fairy tale. Usually If we have a fabulous design we hardly find comfort, but the quality of the lenses is the key to success for this Spanish sun glasses brand, therefore, comfort is undeniable.

www.emianbohe.com

Anita goes to Amsterdam – Day2 & Day3

IMG_3525.JPG
IMG_3514.JPG
IMG_3536.JPG
IMG_3526.JPG
IMG_3472.JPG
IMG_3512.JPG
IMG_3528.JPG
IMG_3530.JPG
IMG_3533.JPG
IMG_3534.JPG
IMG_3515.JPG
IMG_3535.JPG
IMG_3527.JPG
IMG_3516.JPG
IMG_8690.JPG
IMG_3539.JPG
IMG_3538-1.JPG
IMG_3542.PNG

Van Gogh foi um pintor que viu o mundo de uma forma singular, infelizmente, esta visão só veio a ser apreciada depois da sua morte. O pintor não se esgota com o impressionismo, expande o seu talento até ao patamar seguinte, modernismo. É um artista pelo qual nutro um enorme respeito. Como tal, enquanto no país onde nasceu, não podia deixar de visitar o museu que acolheu as suas obras, museu Van Gogh. O homem que falhou em tudo na vida, menos na arte, dedicou-se fundamentalmente a representar momentos do quotidiano, muitas das suas obras são extremamente sombrias mas em algumas fases da sua vida não se poupou a encher a tela de cor.
O que mais me impressionou na exposição foi a história dele e a maneira como as fases da sua vida se refletem nos quadros. É muito interessante ter a percepção de que, de facto, a sua evolução psicológica foi documentada na sua evolução artística.
É uma humilde opinião, não percebo nada de arte e os quadros mais conhecidos dele nem sequer estão no museu. Apesar disso, foi das coisas que mais gostei de visitar na cidade, portanto, aconselho.

São infinitos os pormenores que me encantam nesta cidade, mas optei por concentrar-me em dois temas, Bairro de Jordaan e museu de Van Gogh. Sob pena de me tornar repetitiva, decidi não me desdobrar em mil palavras, assim sendo, deixo-vos alguns conselhos. Entretanto, vou viver uma nova história para vos contar daqui a uns dias.

Se fores a Amsterdão:
– Vai para a fila da casa da Anne Frank às 8:00 da manhã.
– Visita o máximo de museus possível, não só em Amsterdão mas em todos os lugares do mundo.
– Dorme pouco, cada minuto que fechas os olhos são 60 segundos que perdes de inspiração.
– Vai ao museu Van Gogh.
– Tira fotografias, muitas, não deixes que o momento se esgote naquele instante.
– Passeia um dia inteiro no bairro de Jordaan.
– Traz um souvenir, seja o que for, qualquer coisa que te recorde a viagem.
– Entra em galerias de arte.
– Vai à Red Light.
– Bebe um copo de vinho numa esplanada ao final da tarde.
– Prova queijos Holandeses.
– Prova as bolachas que vendem na rua.
– Anda na roda gigante, coleciona voltas nas rodas gigantes da Europa.
– Repete.

Tenho vestido:
Look1
Casaco e encharpe: closet da avó (não é uma marca, é mesmo o closet da minha avó)
Jeans e mala: zara
Botas: parfois
Sweater: h&m
Óculos de sol: Emian Böhecomprar

Look2:
Casaco preto: closet da avó
Casaco colorido: zara
Calções: westvalley
Colar: Famipratacomprar
Clutch: céline


Van Gogh was a painter that looked at the world in his own, unique way, unfortunately, his vision only came to be appreciated after his death. Impressionism wasn’t enough for the painter so he expanded his talent to the next level, modernism. I have a tremendous respect his work, Therefore, I had to visit the Van Gogh museum.

The man who has failed at everything in life, except at art devoted himself primarily to paint the everyday life, many of his pieces are really dark but at some point he started using bright colors.

What I liked most about the exhibition was his story and how different moments of his life are reflected in his work. It is very interesting to see that Van Gogh psychological evolution reflects in his art.
This is just my humble opinion, I don’t not know anything about art and the well known paintings weren’t even in the museum. But I got to tell you I really enjoyed it. If you ever get to go to Amsterdam, you definitely should go visit it.

The small things really are what delighted me in this town but they are endless so I decided to only talk about two themes, the Jordaan district and the Van Gogh museum.
I wrote down a list of what you should do when in Amsterdam. Now I gotta run, there are stories out there waiting for me.

When in Amsterdam:
– Get in line at 8:00 am to go see Anne Frank’s house.
– Visit as many museums as possible, not only in Amsterdam but everywhere in the world.
– don’t sleep too much, every minute you close your eyes you lose 60 seconds of inspiration.
– Go to the Van Gogh museum.
– Take pictures, lots of Pictures, don’t let the moment die.
– Take a day to walk around Jordaan district.
– buy a souvenir, whatever you want, anything that you reminds you of the journey
– Go to art galleries.
– Go to the Red Light.
– Drink a glass of wine on a terrace at the end of the day.
– Eat Dutch cheeses.
– Eat cookies they sell on the street.
– Go on the ferris wheel, collect rides on ferris wheels all over Europe.
– Do it all over again.

wearing:
Look1
Coat & scarf: my grandmother’s closet (não é uma marca, é mesmo o closet da minha avó)
Jeans & bag: zara
Boots: parfois
Sweater: h&m
Sunglasses: Emian Böheshop

Look2:
Black coat: closet da avó
Colorful jacket: zara
Shorts: westvalley
Necklace: Famiprata – shop
Clutch: céline

Anita Goes to Amsterdam-Day1

IMG_3421-1.JPG
IMG_3420-0.JPG
IMG_3419-3.JPG
IMG_3434-2.JPG
IMG_3430-0.JPG
IMG_3431-1.JPG
IMG_3433-1.JPG
IMG_3422.JPG
IMG_3429-0.JPG
IMG_3428.JPG
IMG_3435-0.JPG
IMG_3423-0.JPG
IMG_3424-0.JPG
IMG_3432-2.JPG
IMG_3444-1.PNG

Estava curiosa para conhecer a “cidade do pecado” mas longe de saber que me inspiraria de uma forma tão inesquecível. Amesterdão é uma cidade absolutamente despida de preconceitos mas com uma elegância soberba.

Na primeira noite o meu espírito entusiasta e infantil levou-me até à RED LIGHT, inundada de curiosidade, bem acompanhada, passeei durante horas no meio do atrevimento das janelas do pecado. Não é, de todo, o meu lugar preferido, nem o que me levou a visitar Amsterdão, mas achei que devia viver esta experiência. ✔️

Na manhã seguinte (16.10.2014) estava decidida a ir visitar o museu da Anne Frank, contudo, para ir ao museu tinha de ficar três horas numa fila, como só tinha 3 dias para conhecer a cidade optei por não ir, com muita pena minha.
Mas enquanto procurava a Anne Frank tive um daqueles “serendipity moments” e passei por um daqueles lugares que prometem enraizar-se na memória para sempre, Jordaan.

Dividido por canais, envolto numa série de casas típicas que respiram história, onde há mais bicicletas do que carros, as pessoas andam num frenesim que respira vida e ao final da tarde bebem copos com os amigos nas esplanadas. Há galerias de arte em cada esquina e em cada esquina há um artista pronto para deixar história neste pequeno bairro.
O que eu mais gostei em Amsterdão, no geral, foram as casas com grandes janelas sem cortinas, sem pudor, que mostram, em jeito de filme, pequenas histórias vividas em lugares que são verdadeiras obras de arte, com decorações que respiram bom gosto.

Jordaan é o bairro mais popular de Amesterdão, este oásis dos artistas foi construído e ocupado durante o século XVII por uma classe de trabalhadores e imigrantes. Mais tarde, já no século XX, a câmara da cidade pretendia demolir todas as casas velhas e reconstruir o bairro com prédios. Foram feitos vários protestos e, eventualmente, a solução foi restaurar o bairro sem modificar a sua estrutura, de modo a preservar a história que este acarreta. Jovens estudantes e artistas mudaram-se para este lugar que viria a transformar-se no distrito mais famoso de Amsterdão. Lugar este que transpira uma paz invulgar, tão despretensioso quanto bonito, onde a história se mistura com o moderno para se tornar um dos lugares mais agradáveis para viver no mundo.
(A história continua… Anita Goes to Amesterdam – Day 2)

Tenho vestido:
Casaco, calças, botas e mala: zara
Camisa: westvalley
Óculos de sol: ray ban clubmaster


I was very excited to go to the “sin city” but far from knowing it would inspire me in such a memorable way. Amsterdam is absolutely devoid of prejudices but it has a superb elegance.

On the first night my enthusiastic and childlike spirit led me to the RED LIGHT, full of curiosity, in good company, I walked for hours in the middle of the windows of sin. This wasn’t at all my favorite place, neither what made me come to visit Amsterdam, but I had to live this experience. ✔️

The next morning (16/10/2014) all I wanted to do was to go visit the Anne Frank museum, however, to go to the museum I had to spend three hours in a row, and I only had three days to explore the city so I chose not to go, although I really wanted to.
But while searching for Anne Frank I had one of those “serendipity moments” and went through one of those places that promise to stick to the memory forever, Jordaan.

Divided by canals, surrounded by typical houses that breathe history where there are more bikes than cars, people rush in a frenzy and late in the afternoon they go for a drink with friends. There are art galleries on every corner and in every corner there is an artist ready to make history in this small neighborhood.
What I liked most about Amsterdam were the houses with large windows without curtains, that way you can see people living their lifes in places that are works of art, with tasteful decorations.

Jordaan is the most popular neighborhood in Amsterdam. This artist’s oasis was built and occupied during the seventeenth century by a class of workers and immigrants. Later in the twentieth century, the city council wanted to demolish all the old houses and rebuild the neighborhood with buildings. Several protests were made and eventually the solution was to restore the neighborhood without modifying its structure in order to preserve its history. Young students and artists moved into this place that later would become the most famous district of Amsterdam. The neighborhood exudes an unusual peace, it’s as modest as it is beautiful. History blends with the modern and that’s what makes the district one of the nicest places to live in the world.
(To be continued … Anita Goes to Amsterdam – Day 2)

Wearing:
Coat, jeans, bag & boots: zara
Sunglasses: ray ban clubmaster
Shirt: westvalley

Anita loves Jane & Brigitte

IMG_3342.JPG
IMG_3371.JPG
IMG_3362.JPG
IMG_3341.JPG

“Keep smiling – it takes 10 years off!”

– Jane Birkin
IMG_3360.JPG
IMG_3353.JPG

“My mother was right: When you’ve got nothing left, all you can do is get into silk underwear and start reading Proust.”

– Jane Birkin
IMG_3372.JPG

“A photograph can be an instant of life captured for eternity that will never cease looking back at you.”

– Brigitte Bardot
IMG_3376.JPG
IMG_3368.JPG
IMG_3369-0.JPG

“They may call me a sinner, but I am at peace with myself.”

– Brigitte Bardot
IMG_3367.JPG
IMG_3359.JPG

“No matter whether it’s someone from the political left or right, we just need a voice to stand up and defend animal rights.”

-Brigitte Bardot
IMG_3377.JPG

“My wild and free side unsettled some, and unwedged others.”

– Brigitte Bardot
IMG_3364.JPG

“I am shocking, impertinent and insolent that’s how it is.”

– Brigitte Bardot
IMG_3374.JPG
IMG_3375.JPG
IMG_3373.JPG

A Anita vai ao Douro

IMG_3298-1.JPG
IMG_3329.JPG
IMG_3294-0.JPG
IMG_3308-0.JPGIMG_3328-0.JPG
IMG_3307-0.JPG
IMG_3300-1.JPG
IMG_3305-1.JPG
IMG_3317-0.JPG
IMG_3312-0.JPG
IMG_3314-0.JPG

IMG_3313-0.JPG

Atrasados, com o espírito de quem está de férias, chegámos já passava da hora do almoço. Vinha de olhos na paisagem enquanto estava no carro mas assim que saí fiquei sem ar. As vinhas juntam-se em forma de patchwork em mil tons de verde, o barulho do silêncio é ensurdecedor, é impossível não sentir a ausência do ruído da cidade. Fomos recebidos com uma gentileza tão notória como o silêncio e tão aprazível como as cores da vista. Assim que arrumámos as coisas, eu como entusiasta que sou, estava prontíssima para pôr o pé no alguidar, parece-me a mim, que vir à Quinta do Crasto e não pisar uvas é como ir a Roma e não ver o Papa.

19:00 horas, já estávamos sentados à espera do jantar, não queríamos perder a oportunidade de ver o céu mudar de cor em cima do Douro. Se até então estava encantada com a quinta, este serão foi, sem dúvida, o clímax do fim de semana. Sentámo-nos durante horas enquanto saboreávamos uma refeição divinal, abrimos garrafas de vinho e partilhámos histórias numa conversa que se alongou pela noite fora, envolvidos numa cumplicidade genuína com um plano de fundo digno de um filme do Woody Allen. Inebriados pelo atrevimento de um copo de vinho rimos até que nos faltassem as forças, com a devida moderação.

Na manhã seguinte o clima não estava do nosso lado, improvisei um outfit porque seguia-se um passeio de barco pelo Douro e o termômetro apontava 13º. Sem sol, mas com um certo romantismo, admito, fizemos o bem-dito passeio. Contudo, a típica inquietação de uma miúda que ainda não chegou ao meio século, fez-me aborrecer ao fim de uma hora, confesso. Ou então, a inquietação de viver no século XXI, mas isso não interessa para nada. A paisagem é exímia e foi um belo Domingo.

Que lugar tão bonito, este cantinho da Europa onde vivemos!

Tenho vestido:
1º look:
Túnica: zara
Botas: levis
Óculos de sol: ray ban wayfarer
Colares: Famiprata

2º look:
Casaco, jeans & tshirt: zara
Botas: levis
Óculos de sol: ray ban clubmaster


We got there it was past lunch time, we were already late but that’s fine, we were on vacations. I had my eyes on the landscape while I was in the Car, but as soon as I got out it was breathtaking. The vineyards come together looking like patchwork in a thousand shades of green, it’s so peaceful and quiet it’s impossible not to notice the absence of the city noise. They welcomed us with a kindness as pleasant as the silence and the view.

As soon as we got our stuff in the room I was ready to put my feet over the grapes, I’m pretty sure that going to Quinta do Crasto and don’t experience some grape stomping is like going to Rome and don’t see the Pope.

7pm, we were sitting by the table waiting for dinner, ready to see the sky changing colors over the Douro. I was already in love with this place but let me tell you, this evening was the climax of my weekend. We sat there for hours, had a delightful meal, opened bottles of wine and shared so many stories with a view that Could be the background of a Woody Allen movie. We drunk wine, got a little tipsy and had a good belly laugh.

The next morning was little chilly, definitely the weather wasn’t in our favor so I had to come up with a new outfit because we were about to go for a boat ride. We went for the ride, no sun but the clouds made it look a little romantic. I was restless after an hour, typical of a girl in her early 20s. But I have to admit the view was astonishing and it was a really good sunday.

Portugal is a beautiful place!

Wearing:
1º look:
Tunic: zara
Boots: levis
Sunglasses: ray ban wayfarer
necklaces: Famiprata

2º look:
Jacket, jeans and tshirt: zara
Boots: levis
Sunglasses: ray ban clubmaster

<a

Anita & The Little Black Dress

IMG_3282.JPG
IMG_3287.JPG
IMG_3286.JPG
IMG_3280.JPG

“One is never over-dressed or underdressed with a Little Black Dress.”

― Karl Lagerfeld

16:00 horas, telefonei à minha irmã na esperança de ter alguma ajuda nesta nova aventura, poucas horas depois lá estava ela, de camera fotográfica ao peito, pronta para salvar o dia. E apesar de estar pronta para despejar tudo o que tenho no primeiro post o meu vestido de 15€ da H&M foi o escolhido, talvez porque nunca me deixou ficar mal, afinal, é um vestido preto.

Confesso que já estava preparada para guardar os meus tops de Verão e substituí-los pelo romantismo que envolve os meus casacos de Inverno, mas foi uma agradável surpresa este inesperado adeus ao Verão  e não pude deixar de o aproveitar.

Enquanto deambulávamos pela cidade do Porto à procura do sítio perfeito percebi que, de facto, esta aventura  vai dar-me muito trabalho. Sou perfeccionista mas tenho noção que devo dar um passo de cada vez. Não me posso queixar, estes passos são histórias e não há nada melhor na vida do que histórias. Eu não posso mostrar-vos o cheiro das cidades, nem fazer-vos sentir o que senti quando olhei para uma paisagem, não posso reproduzir o calor dos trópicos nem a textura da neve nos países frios, com muita pena minha. Mas prometo que vou transformar em palavras todas estas aventuras, o que nas palavras não couber falará por imagens, e o que ainda fica por dizer, já não está ao meu alcance.
Tenham uma boa semana, não se esqueçam, amanhã, quando saírem de casa, vão viver uma nova história, portanto, certifiquem-se que estão vestidos a rigor.

Tenho vestido:
 vestido e anéis H&M
– cluch céline
– sandálias zara
– óculos de sol ray ban clubmaster


4pm, called my sister hoping she would help me out with my new adventure and a few hours later, there she was with a camera, ready to save the day. Even though I was ready to show my entire closet on the first post, my 15€ H&M dress was the chosen one, maybe because it never compromises , after all it’s a little black dress.

I have to admit I was ready to put away my summer tops and replace them for my romantic winter coats. But this unexpected summer was such a pleasant surprise I had to make the most out of it.

While we wander on the streets of Porto looking for the perfect spot to shoot I realized how much work I’m about to have with this new adventure. I’m a perfectionist but I know I must take one step at a time. Although I can’t complain, therefore this steps are daily stories and there’s nothing better in this life than stories. I know, I can’t’ show you the smell of cities, or make you feel how I felt when I saw a landscape, I can’t reproduce the hot of the tropics or the cold texture of a snow flake, even though I liked to. I promise I’ll try my best to tell you everything in words, and what doesn’t fit into words, I’ll show in the pictures but that’s as far as I can show you.
Have a good week, and don’t forget, tomorrow when you leave the house there’s a new story waiting for you so you better be dressed up to live it.

wearing:
H&M dress and rings
céline three clutch bag
zara flip-flops
ray ban clubmaster sunglasses

A Anita tem um Blog!

IMG_3246.JPG
IMG_3245.JPG
IMG_3254.JPG

Imagina que aquela pirralha que nos acompanhou durante a infância, todas as noites antes de dormir, ou que pelo menos lá esteve, durante anos, pousada na prateleira, cresceu. E, porque o século XXI assim o exige, em vez de personagem de livros é personagem de blog – A Anita tem um blog. E numa altura em que surgem blogs a cada instante o que provavelmente pensarão é “Oh não! Mais um blog!” Eu tenho uma visão otimista sobre este problema. Mais um blog significa mais uma fonte de inspiração para saciar pessoas como eu que lêem e descobrem novos blogs todos os dias. De cada um de nós só existe um e com a vontade que eu tenho de comunicar com certeza encontrarei alguém que me queira ouvir.
Este blog, assim como a vida é feito de pequenas histórias, seja um jantar acompanhado por um bom vinho, o meu filme preferido, o livro que me fez deambular pelas ruas sem tirar os olhos dele, as minhas viagens que me fazem voltar uma pessoa diferente e claro, como não podia deixar de ser, o meu ‘closet’, que apesar de humilde tende a ser criativo.
Tenho a sensação que me debato sobre este assunto há dez anos mas que lhe dei vida em dez minutos. Seja um hobby, uma brincadeira ou um pouco mais do que isso esteve sempre à distância de um clique que agora será decisório:

Publicar.


For those whom don’t know: My name is Anita and Anita is also the name of a children’s book character written By Marcel Marlier and Gilbert Delahaye. In Portugal this little girl was a part of a lot of people’s childhood so what I propose is: imagine she had grown up but instead of a book’s tale she is now the leading figure of a lifestyle blog, so here I am – my name is Anita Costa and have a blog. But at a time that blogs emerge at every moment you might think “Oh no! NOT ANOTHER BLOG!” But I have a very positive way to solve this issue. A new blog is a brand new source of inspiration to satisfy people like me that read and discover new blogs everyday. We’re all unique, there is only one version of each one of us. And I feel such a will to communicate I’m sure there’s someone out there that wants to listen to me.
This blog, just like life itself is made of tiny stories. I might share with you a dinner I had with my friends drinking my favorite wine, or write my favorite movie’s review, talk about that one book that made me wander on the streets without being able to take my eyes off of it. I’ll also share my trips, however, this is a lifestyle blog so you’ll get to know my humble but creative closet.
I’ve got this feeling I’ve been planning to have a blog for the last ten years, yet, I made it in tem minutes. I don’t know if this is a hobby, just for fun, or a little bit more than that but it has always been as far away as a Click and now the decision is made:

publish.